sábado, 24 de julho de 2010

cada porta cede dentro de mim





















 
























Quando os relógios batem tão perto
como dentro do próprio coração,
e as coisas com vozes débeis
perguntam umas às outras:
- Estás aí? - :



então não sou o mesmo que de manhã acordou,
a noite dá-me um nome
que nenhum daqueles a quem de dia falei
ouviria sem angústia -



Cada porta
cede dentro de mim...









Rainer Maria Rilke











Sem comentários:

Publicar um comentário