domingo, 15 de setembro de 2013

uma palavra, uma jura, uma alegria


















Um sofrimento parecia revelar 
a vida ainda mais 
a estranha dor de que se perca 
o que facilmente se perde 
o silêncio as esplanadas da tarde 
a confidência dócil de certos arredores 
os meses seguidos sem nenhum cálculo 

por vezes é tão criminoso 
não percebermos 
uma palavra, uma jura, uma alegria 







josé tolentino mendonça















Sem comentários:

Publicar um comentário