segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Acontece na vida de toda a gente



















 












 


Acontece na vida de toda a gente. De repente, a porta que se fechou entreabre-se, a grade que se acabou de descer volta a erguer-se, o não definitivo já não é senão um talvez, o mundo transfigura-se, um sangue novo corre-nos nas veias. É a esperança. Pena suspensa. O veredicto de um juiz, de um médico, de um cônsul fica adiado. Uma voz anuncia-nos que nem tudo está perdido. Trémulos, com lágrimas de gratidão nos olhos, passamos para o aposento seguinte, onde nos pedem para esperarmos, antes de nos lançarem no abismo.








 
Nina Berberova, Terra de Ninguém

























2 comentários:

  1. Muito me dizem estas linhas.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderEliminar
  2. obrigada André, significam muito as suas palavras, para mim, também.

    ResponderEliminar