sexta-feira, 3 de março de 2017

desarmado como uma árvore













Que se foda a época
digo-te já
que se foda a sépia dos futuros
eu quero aparecer no dia
do teu nascimento
desarmado como uma árvore
sem outra missão que não
amparar-te o susto
e dizer-te baixinho
bem-vindo ao continente dos frágeis
podes parar de nadar







vasco gato “fera oculta”
















1 comentário: