sábado, 10 de setembro de 2011

mera fábula
















Pois não posso dizer sequer que te amei nunca
Senão em cada gesto e pensamento
E dentro destes vagos vãos poemas;
E já todos me ensinam em linguagem simples
Que somos mera fábula, obscuramente
Inventada na rima de um qualquer
Cantor sem voz batendo no teclado;
Desta falta de tempo, sorte, e jeito,
Se faz noutro futuro o nosso encontro.






António Franco Alexandre








2 comentários:

  1. ah ah ah... lembrei-me de si, josé luís, mas mesmo assim uma fábula fabulosa :)

    ResponderEliminar